Total de visualizações de página

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Curtindo a vida "adoidado"

Salve Ferris

A década de 80 foi de muita criatividade cultural em todas as áreas e em vários países. Muitos grupos clássicos de música brasileira, como Paralamas e Legião Urbana surgiram nessa época. Mas também foram anos muito produtivos na indústria cinematográfica americana.
Nessa década surgiram filmes como "Curtindo a vida adoidado" que contava a história de Ferris Bueller, um garoto que decidiu tirar um dia de folga de sua vida "chata" e monótona junto com o seu melhor amigo e sua namorada.
O filme fez muito sucesso, se tornou um clássico e ainda faz fãs pelo mundo inteiro. Isso acontece porque no fundo, no fundo, todos nós temos vontade de ter um dia de Ferris Bueller. Mas como podemos realmente aproveitar um dia de folga? Como podemos curtir a vida nas nossas férias e em nossas folga?

Por que tirar um dia de folga?

Quando Deus terminou de criar o mundo em 6 dias, a Bíblia diz que ele descansou no sétimo. Provavelmente Moisés escreveu isso para explicar aos israelitas a origem do descanso no sábado, visto que isso se tornou Lei para todos.
Para entendermos melhor a importância do sábado devemos lembrar que aquele povo trabalhava diariamente no Egito e provavelmente estavam acostumados a não ter um dia de descanso, principalmente para poderem prover a sua própria comida. Vale lembrar também que quando entrassem em Canaã teriam a necessidade de trabalharem diariamente pelo alimento e sustento.
O descanso no sábado era um dia para que os israelitas refletissem sobre Deus e Sua obra. Eles trabalhavam diariamente, de forma muito dura, mas teriam que tirar um dia para poderem colocar "as suas idéias em ordem", principalmente meditando em Deus.

O que fazer em nosso Ferris Bueller´s day?

O mundo atual não nos permite exercitar a meditação e a reflexão. Talvez nunca teve tanta gente no mundo e também talvez (desculpe a redundância) nunca tivemos tantas pessoas solitárias. Solidão e solitude não caminham juntas neste mundo pós-moderno.
Por isso a necessidade de refletirmos sobre o que devemos fazer em nossos dias de folga e em nossas férias. Obviamente não podemos colocar uma Lei para os cristãos guardarem o sábado ou qualquer outro dia. Mas podemos pensar sobre os dias da semana que temos para descansar, como Domingo ou outro (para aqueles que trabalham no Domingo) e sobre os nossos dias de férias.
A melhor forma de aproveitá-los é usando o princípio do sábado. Tirar um dia ou dias para pensarmos na obra da Cruz, para perguntarmos a Deus o que Ele quer de nossas vidas, para louvarmos o Senhor e com isso "pôr as nossas idéias em dia". Essa é a melhor forma de "curtirmos a vida adoidado" em nosso "Ferris Bueller´s day".

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Vencendo a barreira do medo

Um dos maiores obstáculos que precisamos superar na vida é o medo. Por mais que tenhamos consciência disso, vencer este bloqueio não é uma tarefa simples.

Isto porque, de modo geral, o medo se relaciona com emoções negativas que vivenciamos que deixaram marcas em nossa memória e, mais do que isto, em nossas células.

Libertar-se das lembranças que geraram o medo exige uma grande disposição interior, pois, para sair do estado de sofrimento em que as memórias dolorosas nos colocam, às vezes é necessário revivê-las muitas e muitas vezes, até que se tornem apenas uma pálida lembrança.

Alguns se recusam a enfrentar este momento difícil, ainda que saibam que é uma passagem necessária em direção à paz. As armaduras corporais que se formam a partir do medo bloqueiam nossa energia vital e trazem inúmeras consequências não apenas para a nossa saúde, mas para o desenvolvimento pleno de nosso poder interior.

A partir do momento em que nos reconhecemos paralisados pelo medo, precisamos ter a coragem para dar o passo seguinte, que se resume em fazer o que for necessário para confrontá-lo, ao invés de fugir.

As batalhas mais importantes da vida são, sem dúvida alguma, aquelas que travamos com nós mesmos, pois é nos subterrâneos de nosso ser, onde reside a escuridão, que se torna mais premente encontrar uma réstia de luz.

E ela está lá, sempre esteve, ainda que as feridas emocionais nos tenham impedido durante muito tempo, de acessá-la. Mas sempre é tempo de refazer o caminho, confiando no amor que a existência nutre por nós.