Total de visualizações de página

quinta-feira, 28 de abril de 2011

A sombra faz parte de nós

NOSSA SOMBRA EXISTE e faz parte de nós। Essa dualidade é intrínseca ao nosso ser e apenas quando a abraçamos sem medo e sem vergonha é que encontramos o equilíbrio em nossa vida। Esse é o caminho do meio: nem tanto ao mar, nem tanto à terra. Vivemos em uma sociedade que determina padrões de comportamento, que nos dita regras e nos impõe determinadas atitudes, mesmo que nos façam mal. Já temos gravada em nossas células a memória de que o lado escuro de nossa personalidade não deve ser aceito. Nos envergonhamos dele e tentamos de todas as maneiras cancelar sua existência inevitável em nossas personalidades. Dos pares de opostos que habitam em nós – luz e sombra, divino e diabólico, santo e profano –, tentamos fingir que só o que é bom existe.


É hora de se rebelar contra essa ditadura. De inovar, recriar nossa vida. Que tal adotar um novo modelo segundo o qual nos sentimos à vontade com quem somos, aceitamos nossa personalidade como ela é? A aceitação total de nossa sombra automaticamente nos faz aceitar a sombra das pessoas à nossa volta, ou seja, nos torna mais compassivos. Começamos a olhar para os fatos sem julgamentos e sem criticas. Nos conscientizamos que a dualidade é natural e universal.


Assim, o turbilhão de nossos pensamentos vai gradativamente diminuindo, a mente se aquieta, fica mais calma e tranqüila. Aos poucos abrem-se espaços entre os pensamentos para que possamos seduzir nosso espírito e ouvir as mensagens inspiradoras de nossa alma. Vamos resgatando o melhor de cada um de nós. Não é irônico? Exatamente quando fazemos as pazes com a nossa sombra é que tornamos mais iluminados. A verdade é que precisamos ser humildes o suficiente para aceitar que o que recebemos do universo é perfeito. E, então, devemos começar a explorar as infinitas possibilidades de crescimento e de desenvolvimento que existem por trás de cada adversidade.


No momento em que aceitamos nossa dualidade, começamos a sentir o estado de paz interior. Paz por ser e não por ter. O ter é sempre conseqüência do ser – e, quanto mais formos, mais teremos. Isso porque nos conectamos com o imenso poder da natureza e trazemos a nós a abundância que nele existe. Nosso corpo passa a produzir substâncias como serotonina e duponina, que vão aumentar nosso bem-estar e promover saúde. Nosso sistema imunológico se eleva, e o índice de doenças diminui. Ao aceitar nossa sombra, eliminamos o sentido da separação que gera toda a infelicidade humana. Voltamos a ser íntegros e a viver na totalidade do nosso ser.


Até a próxima!


quinta-feira, 14 de abril de 2011

Música de conforto


DEIXE ALGO ENTRAR POR UM OUVIDO e sair pelo outro não é tão simples como gostaríamos de crer. Os sons que ouvimos causam um impacto – para o bem e para o mal. Agora mesmo vamos fazer um teste: ajeite-se confortavelmente, feche os olhos e aquiete-se. Fique assim por 1 minuto. Percebeu quantos sons?



A verdade é que existimos mergulhados em um oceano sonoro, basta focar a atenção no momento presente para se dar conta disso. E o problema é que, no nosso cotidiano nas grandes cidades, a maioria dos ruídos nos prejudica a ponto de causar doenças.



O ser humano tende sempre a buscar ordem, segurança e conforto, em todas as áreas da vida. Sem organização rítmica, melódica e harmônica, os chamados sons dissonantes, popularmente conhecidos como ruídos, tendem a ser desorganizadores, ou seja, a causar mal-estar. É o caso das sirenes, britadeiras e alarmes.



MÚSICA DA NATUREZA



Isso é tão serio que estudos feitos pela Universidade Federal de São Paulo concluíram que o ruído tem a propriedade de aumentar a sensibilidade à dor, fazendo com que os doentes de UTI precisem de uma quantidade maior de analgésicos por conta dos barulhos emitidos pelas máquinas. Se os ruídos podem fazer tanto mal, o inverso é verdadeiro: os sons agradáveis têm a capacidade de fazer um bem enorme.



Cada órgão do nosso corpo vibra em sintonia com o universo, em uma freqüência especifica. A doença se instala quando ocorre a desconexão. É isso mesmo: há uma permanente vibração de sons do universo, e esses sons nos fazem lembrar a nossa verdadeira essência, da nossa natureza. O barulho do vento, o cair da chuva e das folhas, a dança das ondas do mar, o piar dos pássaros – todos esses sons têm poder de cura. Rodeados por eles, em meio a natureza, nos reconectamos com o todo.



Deixe então, no seu carro, CDs de sons primordiais da natureza e perceba como você se acalma no transito. Coloque no seu escritório uma musica new age ou clássica e em breve no seu relacionamento interpessoal se equilibrará. Se você esta agitado, ouça uma música tranqüila; se você esta irritado, ouça uma música refrescante; se você esta letárgico, ouça uma música que energize. Analisa seu estado de espírito, ouça sua sabedoria interior e escolha a música da qual você necessita em cada momento.



Percebeu como é fácil ser feliz?