Total de visualizações de página

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Você também conhece muitos deles, com certeza, pois estão por toda parte.


São amigos, parentes, vizinhos de longa data, chefes ou colegas de trabalho; pessoas legais, inteligentes, honestas, cumpridoras de seus deveres... muitas são até devotas, orgulhosas por pertencerem a determinado grupo religioso. São pais e mães que já passaram pela primeira metade da existência, buscando desde pequenos alcançar -com afinco-, uma boa educação formal, constituir em seguida seu núcleo familiar, iniciar a conquista da tão necessária segurança material, a saúde do corpo (realizando check-ups periódicos para verificar e controlar pressão arterial, glicemia, colesterol, triglicérides e outros)...


Algumas talvez sejam sedentárias, outras precisem absolutamente deixar no weekend a cidade grande para trás e tentar esquecer o estresse que as acompanha durante a semana.


Muitas, esmagadas pelo ritmo louco da vida de hoje, talvez somente agora estejam percebendo o quanto os filhos cresceram... e também as muitas oportunidades que perderam de acompanhá-los um pouco mais de perto na caminhada pela vida, confiando cegamente em tradicionais e caras instituições de ensino, quiçá esquecendo-se de dar, de doar todo o amor que eles -os filhos- esperavam ou precisavam.



Talvez esses seres tenham se esquecido de algo mais... e não somente eles; quantos jovens também encontram-se nesta vibração?


E este algo não é alguma coisa banal, trivial. Olvidaram-se de sua natureza divina.


Viveram -e estão vivendo-, de acordo com padrões e valores externos, definidos, implementados por grupos de poder que sabem perfeitamente o que é preciso para controlá-los... iludi-los, dominá-los.


O bombardeio midiático é focado, incessante, maciço; atinge a todos, até os índios, os caiçaras, os quilombolas, as crianças que ainda não frequentam a escola; a cada notícia, a cada spot, a cada clip produzido, a máquina a serviço da sombra, a matrix perversa avança.


As pessoas mais sensíveis podem captar com maior clareza o alcance e a força deste ataque que penetra a fundo na mente das pessoas, por meio de imagens, sons, cores, conceitos, gravando "cookies" específicos em nosso cérebro, permanecendo nele como um vírus de computador, um "Cavalo de Troia" sempre ativo, um gatilho permanente, tal qual maléfica forma-pensamento grudada na aura como obsessor, perturbando profundamente o poderoso campo de força vital, a lucidez, a percepção da verdade.



É tarefa fundamental -ainda que sua execução seja muito delicada-, fazermos algo real, inteligente, prático para ajudar essas pessoas a se reencontrar, desintoxicar-se e despertar, para enfim assumir seu script, sua missão de vida aqui na Terra.


Somos todos irmãos, o que nos afasta uns dos outros são fatores transitórios, que já aprendemos a identificar e desarmar. Conhecemo-os muito bem: o pequeno/grande ego, a ambição, a vaidade e a perda de contato com a Fonte, o centro de Luz que mora em nosso interior.


Afortunadamente, acredito que os que estejam lendo este boletim sejam, em sua maioria, missionários da Luz. Alguns já são mais engajados, determinados e focados, outros, que têm todo o potencial latente, talvez precisem de algum incentivo, de algo que os motive a perseverar na busca, na doação, servindo de exemplo, semeando Luz e amor incondicional.



Eu mesmo despertei pela dor, após dar muitas cabeçadas e sofrer inúmeras doenças graves.


Foi pela mão amiga de um verdadeiro Anjo, que o Universo colocou em meu caminho (Miguel Petrucci é o nome dele). A ajuda veio pontual, por um gesto, um simples presente que se mostrou determinante: um livro! Nele encontrei aquilo que precisava absorver, entender; estava claro que tudo, absolutamente tudo que me acontecera fora provocado por escolha própria, pois eu era o principal responsável dos meus atos.


É claro que tinha chegado o momento certo, estávamos em 1986... bem mais do que na hora. Devorei o conteúdo do livro e ainda, como que por um milagre, encontrei e aprendi naquelas páginas uma simples mas eficiente técnica de meditação, que me acompanha ainda hoje no dia-a-dia, um exercício maravilhoso que resolveu em poucas semanas um grave (para a medicina clássica) problema de saúde. Confira esta técnica no artigo do Saul Olhar e VER. Escutar e OUVIR, ao final do boletim.



Por que não podemos, nós também, sermos mais incisivos, mais ativos, mais arrojados, com movimentos guiados, inspirados pela energia espiritual, distribuindo "cookies de Luz", vírus de Amor, energias positivas? Estaremos permitindo que os que estão à nossa volta possam ser contagiados pelo nosso amor, permanecendo conectados, vivendo no momento presente, o único que existe, no aqui e agora. Percebendo sua força inata, descobrindo quem são de verdade, compreendendo que a grande viagem não é a da volta ao mundo, mas aquela que desvenda o Grande Mistério, que se faz no silêncio, bem dentro de nosso coração.


Por que não auxiliá-los para que possam também se iluminar, assumir a total responsabilidade por tudo que acontece em sua vida; atraindo finalmente, com suas escolhas e sua vibração mais e mais sutilizada, os acontecimentos e as pessoas certas, imprescindíveis ao cumprimento de sua Jornada terrena, perseverando na consciência desperta, plena, refinando seus pensamentos e emoções, transformando-os em sentimentos suaves, de Unidade, de Divindade... equilibrando o aspecto masculino, lógico, mental, racional, com o feminino intuitivo, criativo, compassivo, espiritual.



Pode ser nosso "momento de Anjo", facilitando-lhes o acesso ao autoconhecimento, repassando material do STUM: um interativo, um boletim, um texto contendo uma técnica de alívio do estresse, da dor, da angústia. Um bom livro -é claro-, também é uma boa...



O Universo, a Terra, nós... tudo é vibração. Ao ajudarmos na evolução da qualidade da freqüência energética do maior número possível de seres humanos, estaremos mudando TODO o campo eletromagnético do Planeta; nosso escudo cósmico, nossa realidade, nosso futuro.


A Luz da Verdade está lá fora esperando para que a deixemos entrar.


Vamos escancarar as portas e as janelas!?


Vamos contribuir com entusiasmo para devolver aquele brilho cristalino aos olhos ainda angustiados de nossos irmãos?


terça-feira, 16 de agosto de 2011

Não importa do que é o mundo O importante, são os seus sonhos...

Não importa o que você é O importante é o que você quer ser...

Não importa onde você está O importante é para onde você quer ir...

Não importa o porquê O importante é o querer ...

Não importa suas mágoas O importante mesmo, são suas alegrias...

Não importa o que você já passou O passado guarde na sua lembrança ...

Não veja; apenas olhe...

Não escute; apenas ouça...

Não toque; sinta...

O mundo é um espelho; não seja apenas um reflexo Só acreditando no futuro você conseguirá a paz para alcançar seu sonhos...

Afinal, o que importa ? Você importa ...

quinta-feira, 28 de julho de 2011

O ser humano tem esse poder de sedução, mesmo que não seja de intenção, atraímos pessoas pela nossa simpatia, carinho, atenção, compreensão e entre outros motivos. Mas também existem aquelas pessoas que fazem por prazer, que usam uns aos outros sem dó e piedade, só para se satisfazer de suas carências.


Essa forma de usar as pessoas parece não ser tão importante para quem faz, mas é importante para quem sente. A pessoa que esta do lado oposto se submetendo a esse tipo de ilusão, muitas vezes acha que tudo é real e que esta vivendo um amor correspondido e intenso.


A ilusão muitas vezes deixa as pessoas cegas ao ponto de não enxergar que aquilo não é real e cria um mundo dentro de si totalmente surreal, imaginando situações, sonhando, desejando e se apaixonando ainda mais por alguém que não faz idéia do que esta cometendo.


Quando descoberto a ilusão, a decepção é muito grande e as conseqüências são inúmeras. Depois de se envolver numa paixão tão facilmente, não será com a mesma facilidade que vai conseguir deixar de amar a pessoa. O sofrimento é muito grande a ponto de cometer muitos atos espontâneos por conta do coração e a dor.


Portando, não se deve despertar amores sem ter intenção de prosseguir com o romance, pois não existe amor proibido, apenas pessoas incapazes de amar e serem felizes.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Seja Você Mesmo!!

O Grande Caminho não é difícil
Para aqueles que não têm preferências.
Quando o amor e o ódio estão ambos ausentes
Tudo se torna claro e sincero.


Fazendo-se a menor distinção entretanto
O céu e a terra são colocados infinitamente distantes.
Se queres ver a verdade,
Então não tenha opiniões a favor ou contra coisa alguma.
Quando o profundo significado das coisas não é compreendido
A essencial paz da mente é perturbada inutilmente.


O Caminho é perfeito como o vasto espaço
Onde nada falta e nada está em excesso.
Na verdade, é devido à nossa opção em aceitar ou rejeitar
Que não vemos a verdadeira natureza das coisas.


Não vivas enredado pelas coisas externas,
Nem preso às sensações interiores de vazio.
Seja sereno na unidade de todas as coisas
E tais idéias errôneas irão desaparecer por si mesmas.


Quando tentas parar a atividade para alcançar a passividade,
O teu próprio esforço irá te devolver à atividade.
Enquanto permaneceres num extremo ou no outro
Nunca conhecerás a Unidade.


Aqueles que não vivem no Caminho Único
Falham tanto na atividade quanto na passividade,
Tanto na afirmação quanto na negação.


Negar a realidade das coisas é perder sua realidade.
Afirmar o vazio das coisas é perder sua realidade.
Quanto mais falares e pensares sobre isso,
Mais te desviarás para longe da verdade.
Pare de falar e de pensar,
E nada haverá que não possas conhecer.


Retornar à raiz é encontrar o significado,
Mas perseguir as aparências é perder a fonte.
No momento da iluminação interior
Há um caminho além da aparência e do vazio.


Às mudanças que parecem ocorrer no mundo vazio
Chamamos de reais somente porque somos ignorantes.
Não busques a verdade;
Apenas deixe de acalentar opiniões.


Não permaneças no estado dualístico;
Evite cuidadosamente tais investidas.
Se houver, mesmo que seja um traço,
Disto ou daquilo, do certo e do errado,
A essência da Mente se perderá na confusão.
Muito embora todas as dualidades provenham do Um,
Não fiques apegado a este Um.
Quando a mente existe impertubável no caminho,
Nada no mundo pode ofender,
E quando uma coisa não pode mais ofender,
Ela cessa de existir no velho modo.


Quando não surgem mais pensamentos discriminatórios,
A velha mente cessa de existir.
Quando os objetos do pensamento desaparecem,
O motivo do pensamento desaparece;
Assim, quando a mente desaparece, os objetos desaparecem


As coisas são objetos devido ao sujeito (mente):
A mente (sujeito) é assim devido às coisas (objeto).
Compreenda a relatividade de ambos
E a realidade básica: a unidade do Vazio.


Neste Vazio os dois são indistinguíveis
E cada um contém em si mesmo todo o mundo.
Se não discriminares o áspero do fino
Não serás tentado ao preconceito e à opinião.


Viver no Grande Caminho não é fácil nem difícil,
Mas aqueles com visões limitadas são temerosos e irresolutos;
Quanto mais se apressam, mais devagar eles vão,
E o apego não pode ser limitado;
Mesmo o apego à idéia de iluminação é andar sem rumo.


Deixe que as coisas sigam o seu próprio caminho
E não haverá mais o vir ou o ir.
Obedeça à natureza das coisas (tua própria natureza),
E caminharás livremente sem seres perturbado.


Quando o pensamento está escravizado, a verdade está oculta,
Pois tudo é indistinto e nada está claro
E a cansativa prática de julgar traz aborrecimento e cansaço.
Que benefício pode nos trazer a distinção e a separação?


Se queres te movimentar no Caminho Único
Não desgostes nem mesmo do mundo dos sentidos e das idéias.
Na verdade, aceitá-lo plenamente
É identificar-se com a verdadeira Iluminação.
O homem sábio não se esforça para alcançar qualquer meta,
Mas o homem tolo é escravo e ele mesmo se escraviza.


Há somente um darma, uma verdade, uma lei e não muitas.
As distinções surgem das aferradas necessidades do ignorante.
Buscar a Mente com a mente que discrimina é o maior de todos os erros.


O repouso e a intranquilidade derivam da ilusão;
Com a Iluminação não há o gostar e o desgostar.
Todas as dualidades surgem da dedução ignorante.
Elas são como sonhos ou flores no ar,
É tolice tentar capturá-las
O ganho e a perda, o certo e o errado:
Tais pensamentos têm que ser abolidos completamente.


Se o olho nunca dorme, todos os sonhos naturalmente cessarão.
Se a mente não fizer qualquer discriminação,
As dez mil coisas são o que elas são, uma única essência.


Compreender o mistério desta Única Essência
É ser liberado de todas as malhas a que estamos presos.
Quando todas as coisas são vistas igualmente
Alcançamos a atemporal Auto-essência.
Não são mais possíveis comparações ou analogias
Neste estado em que não há nem causas nem relações.


Considere o movimento estacionário e o estacionário em movimento
E
ambos, o movimento e o repouso, desaparecerão.
Quando tais dualidades deixam de existir
A Unidade em si mesma não pode existir.
A esta finalidade última, nenhuma lei ou descrição pode ser aplicada.


Para a mente unificada de acordo com o Caminho
Cessam todos os esforços autocentrados.
As dúvidas e irresoluções desaparecem
E a vida na verdadeira fé é possível.
Com um simples golpe estamos livres da escravidão;
Nada nos prende e nós não nos prendemos à nada.


Tudo é vazio, claro, auto-iluminante,
Sem qualquer esforço do poder da mente.
Aqui o pensamento, o sentimento, o conhecimento e a imaginação
Não têm qualquer valor.
Neste mundo da Essencialidade
Não há nem ser nem outra coisa que seja o não-ser.
Para entrar diretamente em harmonia com esta realidade
Diga simplesmente quando a dúvida surgir: “ não dois”.
Neste “ não dois” nada é separado, nada é excluído.
Não importa quando ou onde,
A Iluminação significa entrar nesta verdade.
E esta verdade está além do aumento ou diminuição no tempo e no espaço;
Num simples pensamento estão dez mil anos.


O Vazio aqui, o Vazio lá,
Mas o universo infinito permanece sempre diante dos teus olhos.
Infinitamente grande e infinitamente pequeno;
Sem diferença, pois a definições desaparecem
E nenhum limite é visto.
Isso também ocorre com o Ser e o não-Ser.
Não perca tempo com dúvidas e argumentos que nada têm que ver com isso.


Uma coisa, todas as coisas;
Movem-se e se mesclam sem distinção.
Viver nesta realização
É não ter ansiedade acerca da não-perfeição
Viver nesta fé é a estrada para a não-dualidade,
Porque o não-dual é uno com a mente confiante.


Palavras!
O Caminho está além da linguagem,
Pois nele não há nem o ontem, nem o amanhã, nem o hoje.

terça-feira, 7 de junho de 2011

10 passos para ser feliz!

1 - Simplifique a vida: tente resolver seus problemas com a simplicidade das crianças. Quando crescemos, adquirimos um péssimo hábito de querer sempre complicar as coisas. Ao enxergá-las como realmente são, veremos que é mais fácil lidar com elas.


2 - Planeje o futuro: a vida só tem sentido quando definimos metas positivas, sejam elas emagrecer, parar de fumar, conquistar uma promoção no trabalho ou comprar uma casa!


3 - Desenvolva outras habilidades: velhos hábitos não mudam de uma hora para outra. Mas com disciplina e perseverança, você pode transformar a sua vida e obter o sucesso.


4 - Defina seus valores: seja verdadeiro com você. O que pesa mais: a sua carreira ou a sua vida amorosa? Reflita sobre estes e outros aspectos da sua vida, e caminhe rumo ao equilíbrio.


5 - Identifique as prioridades: aquilo que é urgente, nem sempre é importante e vice-versa. Ajuda a manter o seu foco afinado com seus objetivos.


6 - Aprenda a perdoar: ao perdoar, você purifica a alma, tornando-a mais leve, afinal, abrindo mão de sentimentos negativos, como a raiva, o ódio, o desprezo, e permitindo que a sua energia flua positivamente, trazendo mais alegria e bem-estar!


7 - Reorganize o seu tempo: o resultado será um dia a dia menos estressante e mais produtivo.


8 - Seja realista: não se proponha a fazer o que, lá no fundo, já sabe que não irá conseguir. Dê um passo de cada vez. Acumular várias pequenas vitórias ao longo do processo aumenta a auto-estima, a autoconfiança e mantém a motivação necessária para continuar a jornada.


9 - Não desperdice sua energia vital: conserve a saúde e o bem-estar, mantenha a auto-estima positiva. Assim, quando as páginas da agenda anunciar que o fim do ano está próximo, você não se sentirá em débito consigo mesmo. Pelo contrário, estará mais confiante e pleno de sua capacidade, impedindo que o estresse e a ansiedade dominem a sua vida.


10 - Agradeça! A qualquer momento, por qualquer coisa. Ao agradecer, relaxamos, dormimos melhor ficamos livres das tensões.

domingo, 5 de junho de 2011

NUNCA DESISTA DE AMAR

O amor é eterno e maravilhoso em sua essência, capaz de realizar as mais importantes transformações em um ser humano.

Alguns vivem o amor em sua plenitude pelo simples fato de dispor dele em abundância. Aprenderam a amar, a se entregar ao ser amado e a estabelecer relacionamentos criativos. Outros sofrem com seu relacionamento amoroso. Depois de algumas decepções, tendem a se isolar e a adotar uma postura cética em relação ao amor. Preferem ficar em casa no sábado à noite, assistindo a um filme. Passam todos os fins de semana sozinhos. Nunca aceitam o convite de um colega para sair. No início, sentem-se aliviados, pois acham melhor evitar problemas do que sair em busca do amor. Mas, depois de algum tempo, a solidão começa a apertar o coração.

Nunca desista de amar. Assuma sempre o risco de demonstrar seu amor, mesmo que a outra pessoa não vá aceitá-lo, porque amar alguém não é um problema nem um defeito; é uma virtude. Se ela não aceitar o seu amor, o problema não é seu, pois, uma vez que você descobriu o jeito de amar, ficará faltando apenas encontrar um companheiro para a viagem a dois.

Se você está só, abra o seu coração, coloque um sorriso no rosto, retome o brilho nos olhos e acredite que a vida lhe prepara maravilhosas surpresas. Tenho a esperança de que com esta nossa conversa você tenha conseguido mais energia e inspiração para desfrutar melhor o Amor, uma realidade valiosa demais para ser banalizada.

E lembre-se: você é o autor da sua vida e é capaz de escrever uma história de amor muito linda, na qual receba e dê muito amor. Saiba sempre que amar pode dar certo, desde que você cuide do Amor com muito carinho e sabedoria.

O amor é eterno e maravilhoso em sua essência, capaz de realizar as mais importantes transformações em um ser humano, mas as pessoas atualmente se machucam muito porque não aprenderam a amar de uma forma plena.

O problema não está no amor. O ser humano não consegue ser feliz sozinho. Desistir de amar é deixar de lado uma parte fundamental da própria vida, e por isso mesmo é triste ver tantas pessoas tratarem o amor com desprezo, acharem as manifestações de romantismo algo feio e, principalmente, desistirem de viver um grande amor. Vale a pena amar, acreditar no amor, entregar-se ao amor. O amor satisfaz os nossos mais profundos desejos de compreender e ser compreendido, de valorizar e ser valorizado, de dar e receber.

Amar pode dar certo

O ser humano só pode existir em paz consigo mesmo se puder se relacionar com uma pessoa a quem diga, com palavras e gestos, "eu te amo" e de quem ouça com total sinceridade: "Eu também te amo".

Mas amar supõe evoluir todos os dias, conhecer o outro cada vez melhor, construir com ele um lugar no mundo em que as pessoas, ao entrar, sentirão que ali existe vida, carinho sincero, vontade de acertar.

Nos momentos de crise ou de mágoa, dizer "eu te amo" ao parceiro é ter a coragem de lhe dizer que ele fez algo de que você não gostou.

Nos momentos de alegria e êxtase, dizer "eu te amo" é saber compartilhar essa alegria com quem você ama, abrindo seu coração sem reservas.

Nos momentos de dor, dizer "eu te amo" é talvez não dizer nada, mas deixar evidente ao outro que você está ao seu lado aconteça o que acontecer.

Nos momentos em que você perceber que errou, a melhor maneira de dizer "eu te amo" é simplesmente dizer: "Desculpe pelo meu erro".

Nos momentos em que o outro errou, e está triste porque cometeu o erro, a melhor maneira de dizer "eu te amo" é se aproximar lentamente dele, colocar a mão em seu ombro e dizer suavemente: "Tudo bem, já ficou para trás".

Amar pode dar certo é a frase mais simples possível para traduzir a convicção de que nascemos para amar e ser amados, e que nossa felicidade consiste em realizar essa missão.


Até a próxima!!

sábado, 21 de maio de 2011

O PREÇO

O tempo é certamente um dos fatos da nossa vida, que mais muda seu próprio valor. Enquanto ainda somos jovens, a preocupação com ele praticamente não existe.
Você vai envelhecendo e não sei exatamente se é um fato real ou uma sensação.


Mas um dia você acorda de manhã e parece que a noite chegou mais depressa que no dia anterior.


Então mais depressa no dia seguinte, depois mais e um pouco mais nos próximos.


Muitas outras sensações mudam assim como o tempo, talvez uma das menos gloriosas, a constatação de que não podemos dizer tudo que gostaríamos. Que não podemos agir exatamente como gostaríamos. Em troca da simples tentativa de ser aceito, simples porém eficaz.


Quem fala demais ou age por impulso, tende a ser visto, com poucas situações necessárias, como um inconveniente.


Pessoas não sabem lidar com o inesperado, com o inconstante, com a mais sutil ameaça às suas rotinas. Casam, buscam bons empregos, filhos, animais de estimação, amigos e passam a fantasiar que é um ideal de vida, uma meta, um objetivo necessário para se sentirem completos.


Na realidade, nada além da necessidade de evitar que o destino possa fazer todas as escolhas. Entre a sorte e o azar, é preferível fazer suas próprias escolhas e se confortar delas.


Bloqueiam as chances de que novas possibilidades possam ter de nascer a cada momento, dos lugares mais inesperados e que nos levarão a realidades tão diferentes, que se torna impossível sentir-se confortável.


Não é nenhum pensamento original, mas vivemos em uma realidade fragilmente falsa, de harmonia inexistente. Nesta tentativa de não abalar o comum, o costumeiro, o status quo, criamos nossas próprias conveniências. Escondemos sentimentos, sufocamos necessidades e desejos, que vão muito além do sexual.


Talvez este seja o mais rápido e fácil de resolver. Em qualquer esquina, com poucos trocados, tudo se resolve.


Pense mais além. Pense mais profundamente. Quantas vezes você calou suas idéias, recusou seu instinto de poder dizer tudo o que gostaria, para agir da maneira mais inconsequente, de um jeito que você nem pode imaginar.


Por isso precisamos de tantos estímulos e distrações. E mesmo diante de tantas tecnologias e novidades, continuamos frustrados, inquietos, sufocados, depressivos. Não temos a capacidade de entender que todo sentimento sufocado, gera uma sequência de consequências que, podem garantir nossa sobrevivência em sociedade, mas são incapazes de garantir a sobrevivência de sua verdadeira personalidade dentro de si mesmo, dentro de sua própria consciência.


E essa morte interior terá como única vítima, você.


A sociedade continuará, filhos tomarão o lugar dos pais, outras pessoas tomarão o lugar de outras pessoas e todos nós passaremos por esta vida, sem saber exatamente o motivo de nunca ter escolhido suportar o fardo que precede a verdade, em troca da verdadeira liberdade.


Eu gostaria de dizer coisas que não posso dizer.
Eu gostaria de ter atitudes que eu não posso ter.
Eu gostaria de pagar um preço que eu não posso pagar.


Em busca de uma sobrevivência meio morta.
Pela metade, convivendo eternamente com o quase.
Com o que poderia ser e nunca será.
Com as causas já perdidas.
Com todas as coisas que nunca serão ditas, para pessoas que precisavam ouvir verdades que foram cerceadas.
Ainda não consegui entender, qual o mérito.


Provavelmente nenhum.
Perdemos o tempo onde a honra era defendida na lâmina de uma espada.
Onde para sobreviver, precisava coragem.
Hoje compramos nosso direito a palavra,
paradoxalmente pagando com silêncio.

EU GOSTO

De arte, teatro, fotografia, literatura, músicas, cantigas, pôr-do-sol, noites de luar, vento frio no rosto, noite estrelada, ondas no mar, céu azul e nuvens brancas, chuva no fim da tarde, conversas longas, histórias fantasiosas, pessoas estranhas e lugares bonitos.


Gosto da força do silêncio, do vôo do besouro, de ver além da máscara, de ficar sozinho, de piscar de olhos, da luz da manhã, poeira em feixes de luz, contradições, delicadezas, pequenas gentilezas, voz suave, olhar forte.


Gosto de pensar… Em coisas que você não pensaria.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Desabafo

Sabe,há alguns anos escrevo aqui neste blog, mais precisamente desde 2009. Tento sempre trazer um pouco das coisas que eu gosto e que principalmente as quais me mantém vivo, que mantém minha lucidez, do meu jeito, torto talvez, mas foi o caminho que consegui trilhar. De fato, nada foi muito fácil para mim até hoje, minha vida é repleta de erros, lágrimas, tristezas profundas, mágoas, decepções, azares, seja lá qual nome podemos dar para os planos que dão errado. Vivo prometendo escrever um livro de todas as desventuras que enfrento, mas não sei o quanto sincero eu poderia ser, sem magoar algumas pessoas, sem que todos envolvidos saibam que trata-se apenas de pensamentos e lembranças.


Eu não sou nem de longe a pessoa que mais sofreu nesta vida, nem sei se minha história tem algo de realmente interessante para ser contado, passado adiante, eternizado em um livro. Talvez seja só desculpas para procratinar algo que não sei sua verdadeira importância, mas talvez o que mais me impede é que minha realidade não inspira o vislumbramento de um final feliz. Não é deste modo que todo livro deve acabar? Como diz a canção: ‘…se há sorte, eu não sei, nunca vi…’.


Eu não conheço as pessoas que acessam o blog todos os dias, mas me preocupo com cada um que chega até o blog, pelos caminhos mais diversos, buscando por tantas respostas, que talvez não encontrarão. Para ser totalmente sincero, eu nunca pensei em escrever um blog esperando que alguém tivesse interesse em ler, tento retribuir com uma dose de confiança, que paradoxalmente pareço ter tanto e tão pouco.


Você já se deparou com um momento em sua vida, em que você se pergunta porque está vivo? Sem conseguir encontrar algum motivo genuinamente válido. Ao mesmo tempo, teme encontrar uma razão a qualquer momento, justamente quando pode ser tarde demais. Algo como esperar tanto tempo pela felicidade que acaba esquecendo de viver com aquilo que a vida pode lhe dar. Queria apenas pensar menos em tudo isso, ficar um pouco inerte, alheio, desligado, fora de área. Este não é um pensamento do Wills, ele pode nem fazer sentido, apenas queria pensar alto, escrevendo aqui um pouco das minhas inquietações, talvez assim minha cabeça pare de doer de tanto pensar, pensar e pensar, abrir um pouco de espaço.


Estou ouvindo uma música que acho muito bonita. Não sei exatamente o que ela tem de tão especial para mim. Me traz lembranças boas da infância. Da época em que acordava cedo, já que não precisa ir para a aula, aproveitava para assistir Globo Rural, vendo aquela vida que corria em uma velocidade diferente, de dias mais longos. De quem olha para o céu, de quem espera a chuva, de quem precisa de sol. Daqueles que precisam que a vida floreça para que a sua própria vida aconteça. Tudo aquilo que nos faz acreditar que existirá um dia melhor amanhã, de que a dor acaba e de que as lágrimas sempre secam.


quinta-feira, 28 de abril de 2011

A sombra faz parte de nós

NOSSA SOMBRA EXISTE e faz parte de nós। Essa dualidade é intrínseca ao nosso ser e apenas quando a abraçamos sem medo e sem vergonha é que encontramos o equilíbrio em nossa vida। Esse é o caminho do meio: nem tanto ao mar, nem tanto à terra. Vivemos em uma sociedade que determina padrões de comportamento, que nos dita regras e nos impõe determinadas atitudes, mesmo que nos façam mal. Já temos gravada em nossas células a memória de que o lado escuro de nossa personalidade não deve ser aceito. Nos envergonhamos dele e tentamos de todas as maneiras cancelar sua existência inevitável em nossas personalidades. Dos pares de opostos que habitam em nós – luz e sombra, divino e diabólico, santo e profano –, tentamos fingir que só o que é bom existe.


É hora de se rebelar contra essa ditadura. De inovar, recriar nossa vida. Que tal adotar um novo modelo segundo o qual nos sentimos à vontade com quem somos, aceitamos nossa personalidade como ela é? A aceitação total de nossa sombra automaticamente nos faz aceitar a sombra das pessoas à nossa volta, ou seja, nos torna mais compassivos. Começamos a olhar para os fatos sem julgamentos e sem criticas. Nos conscientizamos que a dualidade é natural e universal.


Assim, o turbilhão de nossos pensamentos vai gradativamente diminuindo, a mente se aquieta, fica mais calma e tranqüila. Aos poucos abrem-se espaços entre os pensamentos para que possamos seduzir nosso espírito e ouvir as mensagens inspiradoras de nossa alma. Vamos resgatando o melhor de cada um de nós. Não é irônico? Exatamente quando fazemos as pazes com a nossa sombra é que tornamos mais iluminados. A verdade é que precisamos ser humildes o suficiente para aceitar que o que recebemos do universo é perfeito. E, então, devemos começar a explorar as infinitas possibilidades de crescimento e de desenvolvimento que existem por trás de cada adversidade.


No momento em que aceitamos nossa dualidade, começamos a sentir o estado de paz interior. Paz por ser e não por ter. O ter é sempre conseqüência do ser – e, quanto mais formos, mais teremos. Isso porque nos conectamos com o imenso poder da natureza e trazemos a nós a abundância que nele existe. Nosso corpo passa a produzir substâncias como serotonina e duponina, que vão aumentar nosso bem-estar e promover saúde. Nosso sistema imunológico se eleva, e o índice de doenças diminui. Ao aceitar nossa sombra, eliminamos o sentido da separação que gera toda a infelicidade humana. Voltamos a ser íntegros e a viver na totalidade do nosso ser.


Até a próxima!


quinta-feira, 14 de abril de 2011

Música de conforto


DEIXE ALGO ENTRAR POR UM OUVIDO e sair pelo outro não é tão simples como gostaríamos de crer. Os sons que ouvimos causam um impacto – para o bem e para o mal. Agora mesmo vamos fazer um teste: ajeite-se confortavelmente, feche os olhos e aquiete-se. Fique assim por 1 minuto. Percebeu quantos sons?



A verdade é que existimos mergulhados em um oceano sonoro, basta focar a atenção no momento presente para se dar conta disso. E o problema é que, no nosso cotidiano nas grandes cidades, a maioria dos ruídos nos prejudica a ponto de causar doenças.



O ser humano tende sempre a buscar ordem, segurança e conforto, em todas as áreas da vida. Sem organização rítmica, melódica e harmônica, os chamados sons dissonantes, popularmente conhecidos como ruídos, tendem a ser desorganizadores, ou seja, a causar mal-estar. É o caso das sirenes, britadeiras e alarmes.



MÚSICA DA NATUREZA



Isso é tão serio que estudos feitos pela Universidade Federal de São Paulo concluíram que o ruído tem a propriedade de aumentar a sensibilidade à dor, fazendo com que os doentes de UTI precisem de uma quantidade maior de analgésicos por conta dos barulhos emitidos pelas máquinas. Se os ruídos podem fazer tanto mal, o inverso é verdadeiro: os sons agradáveis têm a capacidade de fazer um bem enorme.



Cada órgão do nosso corpo vibra em sintonia com o universo, em uma freqüência especifica. A doença se instala quando ocorre a desconexão. É isso mesmo: há uma permanente vibração de sons do universo, e esses sons nos fazem lembrar a nossa verdadeira essência, da nossa natureza. O barulho do vento, o cair da chuva e das folhas, a dança das ondas do mar, o piar dos pássaros – todos esses sons têm poder de cura. Rodeados por eles, em meio a natureza, nos reconectamos com o todo.



Deixe então, no seu carro, CDs de sons primordiais da natureza e perceba como você se acalma no transito. Coloque no seu escritório uma musica new age ou clássica e em breve no seu relacionamento interpessoal se equilibrará. Se você esta agitado, ouça uma música tranqüila; se você esta irritado, ouça uma música refrescante; se você esta letárgico, ouça uma música que energize. Analisa seu estado de espírito, ouça sua sabedoria interior e escolha a música da qual você necessita em cada momento.



Percebeu como é fácil ser feliz?









domingo, 27 de março de 2011

Romance à moda eterna

ALEGRIA E ENCANTAMENTO, riso e brilho no olhar. Esses sentimentos simples e suas expressões deliciosas foram os temas das colunas mais recentes. Hoje, continuamos nosso treinamento para trazer ao dia-a-dia emoções capazes de nos sintonizar com a felicidade e a saúde.


Como aparelhos de televisão que devem estar bem sintonizados para que a imagem seja nítida, precisamos escolher emoções corretas para melhorar também nossa “imagem” pessoal. Nada mais saudável do que ter um sistema imunológico forte, bombardeado permanentemente por hormônios de bem viver. Assim como na TV projeta uma historia de tela, nos temos também projetamos pensamentos que vão influenciar nossa historia individual e afetar tudo e todos. Ao termos saúde e sermos felizes, estamos contribuindo para a saúde e felicidade de todos os seres e também da natureza.


Um sentimento que caiu em desuso na atualidade é ingrediente muito bem-vindo na receita da felicidade: o romance. Agora, assuma uma postura confortável, com a coluna ereta. Inspire profundamente, coloque sua atenção no momento presente e relaxe. Crie uma cena de romance, use sua imaginação: pode ser um jantar à luz de velas com quem você ama, por exemplo. Deixe-se levar por essa emoção leve e tranqüila, expresse um sorriso em seus lábios e dê uma enorme risada em seu interior! Sinta também encantamento pelo seu parceiro ou parceira... Veja como isso é possível e que a sensação de bem-estar e leveza você imediatamente tem.


Abra os olhos e assuma o compromisso de reintroduzir o romance em sua vida. Não espere que as situações surjam – trate de criá-las. Ao escolher o romance, você começa aos poucos mudar sua postura perante aos acontecimentos. Ela se torna mais leve, mais solta, o que faz com que o dia-a-dia seja mais fácil de ser vivido. Em conseqüência, tudo se transforma ao seu redor, tudo se suaviza.


Perceba como o romance proporciona alegria e encantamento, como coloca um sorriso em seus lábios e um brilho novo no seu olhar. Assim se cria uma cadeia sem fim de felicidade e muita saúde!


Hoje, ao chegar em casa, expresse a emoção do romance da maneira mais criativa que você encontrar. Prepare-se, pois você poderá se surpreender!

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Grande Caminho não é difícil

Para aqueles que não têm preferências.

Quando o amor e o ódio estão ambos ausentes

Tudo se torna claro e sincero.

Fazendo-se a menor distinção entretanto

O céu e a terra são colocados infinitamente distantes.

Se queres ver a verdade,

Então não tenha opiniões a favor ou contra coisa alguma.

Quando o profundo significado das coisas não é compreendido

A essencial paz da mente é perturbada inutilmente.

O Caminho é perfeito como o vasto espaço

Onde nada falta e nada está em excesso.

Na verdade, é devido à nossa opção em aceitar ou rejeitar

Que não vemos a verdadeira natureza das coisas.

Não vivas enredado pelas coisas externas,

Nem preso às sensações interiores de vazio.

Seja sereno na unidade de todas as coisas

E tais idéias errôneas irão desaparecer por si mesmas.

Quando tentas parar a atividade para alcançar a passividade,

O teu próprio esforço irá te devolver à atividade.

Enquanto permaneceres num extremo ou no outro

Nunca conhecerás a Unidade.

Aqueles que não vivem no Caminho Único

Falham tanto na atividade quanto na passividade,

Tanto na afirmação quanto na negação.

Negar a realidade das coisas é perder sua realidade.

Afirmar o vazio das coisas é perder sua realidade.

Quanto mais falares e pensares sobre isso,

Mais te desviarás para longe da verdade.

Pare de falar e de pensar,

E nada haverá que não possas conhecer.

Retornar à raiz é encontrar o significado,

Mas perseguir as aparências é perder a fonte.

No momento da iluminação interior

Há um caminho além da aparência e do vazio.

Às mudanças que parecem ocorrer no mundo vazio

Chamamos de reais somente porque somos ignorantes.

Não busques a verdade;

Apenas deixe de acalentar opiniões.

Não permaneças no estado dualístico;

Evite cuidadosamente tais investidas.

Se houver, mesmo que seja um traço,

Disto ou daquilo, do certo e do errado,

A essência da Mente se perderá na confusão.

Muito embora todas as dualidades provenham do Um,

Não fiques apegado a este Um.

Quando a mente existe impertubável no caminho,

Nada no mundo pode ofender,

E quando uma coisa não pode mais ofender,

Ela cessa de existir no velho modo.

Quando não surgem mais pensamentos discriminatórios,

A velha mente cessa de existir.

Quando os objetos do pensamento desaparecem,

O motivo do pensamento desaparece;

Assim, quando a mente desaparece, os objetos desaparecem

As coisas são objetos devido ao sujeito (mente):

A mente (sujeito) é assim devido às coisas (objeto).

Compreenda a relatividade de ambos

E a realidade básica: a unidade do Vazio.

Neste Vazio os dois são indistinguíveis

E cada um contém em si mesmo todo o mundo.

Se não discriminares o áspero do fino

Não serás tentado ao preconceito e à opinião.

Viver no Grande Caminho não é fácil nem difícil,

Mas aqueles com visões limitadas são temerosos e irresolutos;

Quanto mais se apressam, mais devagar eles vão,

E o apego não pode ser limitado;

Mesmo o apego à idéia de iluminação é andar sem rumo.

Deixe que as coisas sigam o seu próprio caminho

E não haverá mais o vir ou o ir.

Obedeça à natureza das coisas (tua própria natureza),

E caminharás livremente sem seres perturbado.

Quando o pensamento está escravizado, a verdade está oculta,

Pois tudo é indistinto e nada está claro

E a cansativa prática de julgar traz aborrecimento e cansaço.

Que benefício pode nos trazer a distinção e a separação?

Se queres te movimentar no Caminho Único

Não desgostes nem mesmo do mundo dos sentidos e das idéias.

Na verdade, aceitá-lo plenamente

É identificar-se com a verdadeira Iluminação.

O homem sábio não se esforça para alcançar qualquer meta,

Mas o homem tolo é escravo e ele mesmo se escraviza.

Há somente um darma, uma verdade, uma lei e não muitas.

As distinções surgem das aferradas necessidades do ignorante.

Buscar a Mente com a mente que discrimina é o maior de todos os erros.

O repouso e a intranquilidade derivam da ilusão;

Com a Iluminação não há o gostar e o desgostar.

Todas as dualidades surgem da dedução ignorante.

Elas são como sonhos ou flores no ar,

É tolice tentar capturá-las

O ganho e a perda, o certo e o errado:

Tais pensamentos têm que ser abolidos completamente.

Se o olho nunca dorme, todos os sonhos naturalmente cessarão.

Se a mente não fizer qualquer discriminação,

As dez mil coisas são o que elas são, uma única essência.

Compreender o mistério desta Única Essência

É ser liberado de todas as malhas a que estamos presos.

Quando todas as coisas são vistas igualmente

Alcançamos a atemporal Auto-essência.

Não são mais possíveis comparações ou analogias

Neste estado em que não há nem causas nem relações.

Considere o movimento estacionário e o estacionário em movimento

E ambos, o movimento e o repouso, desaparecerão.

Quando tais dualidades deixam de existir

A Unidade em si mesma não pode existir.

A esta finalidade última, nenhuma lei ou descrição pode ser aplicada.

Para a mente unificada de acordo com o Caminho

Cessam todos os esforços autocentrados.

As dúvidas e irresoluções desaparecem

E a vida na verdadeira fé é possível.

Com um simples golpe estamos livres da escravidão;

Nada nos prende e nós não nos prendemos à nada.

Tudo é vazio, claro, auto-iluminante,

Sem qualquer esforço do poder da mente.

Aqui o pensamento, o sentimento, o conhecimento e a imaginação

Não têm qualquer valor.

Neste mundo da Essencialidade

Não há nem ser nem outra coisa que seja o não-ser.

Para entrar diretamente em harmonia com esta realidade

Diga simplesmente quando a dúvida surgir: “ não dois”.

Neste “ não dois” nada é separado, nada é excluído.

Não importa quando ou onde,

A Iluminação significa entrar nesta verdade.

E esta verdade está além do aumento ou diminuição no tempo e no espaço;

Num simples pensamento estão dez mil anos.

O Vazio aqui, o Vazio lá,

Mas o universo infinito permanece sempre diante dos teus olhos.

Infinitamente grande e infinitamente pequeno;

Sem diferença, pois a definições desaparecem

E nenhum limite é visto.

Isso também ocorre com o Ser e o não-Ser.

Não perca tempo com dúvidas e argumentos que nada têm que ver com isso.

Uma coisa, todas as coisas;

Movem-se e se mesclam sem distinção.

Viver nesta realização

É não ter ansiedade acerca da não-perfeição

Viver nesta fé é a estrada para a não-dualidade,

Porque o não-dual é uno com a mente confiante.

Palavras!

O Caminho está além da linguagem,

Pois nele não há nem o ontem, nem o amanhã, nem o hoje.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Amo-te


Não te sei dizer por que?


Nem porque não.


Mas sei, sinto que te amo.


Que gosto de ti.


Não gosto de ti pelo teu corpo.


Nem pelos teus cabelos.


Nem pelos teus olhos.


Gosto de ti porque gosto de ti.


Gosto de ti, e não o sei explicar.


Gosto de ti pelo conforto que me dás.


Gosto de ti quando me abraças.


Gosto de ti quando chove ou quando o sol brilha.


Gosto de ti quando estás perto de mim.


Mas também gosto de ti quando estás longe.


Vou continuar a gostar de ti quando gostar de outro.


Vou continuar a amar-te quando muitos anos passarem.


Vou continuar a lembrar-me dos teus braços e abraços, do teu riso e sorriso quando estiver nos braços de outro que me diz que me ama.


Vou continuar a amar-te assim sem explicação mesmo tu não o sabendo.


Vou continuar neste caminho onde tu estás ao meu lado, mas à distância, à distância de um abraço apertado daqueles que duram uma eternidade, daqueles que nos lembramos quando muitos anos passarem.


E, nessa altura, irei ter contigo e dir-te-ei que te amo, mesmo já quando os meus olhos pouco virem, mesmo já quando a minha pele estiver enrugada, mesmo quando já não me lembrar do resto.


Quando isso acontecer, vou lembrar-me de ti, e vou dizer-te que gosto de ti, e isso irá fazer-me feliz, pelo menos mais uma vez.


Há coisas que não se apagam, e que ficam.


Para sempre.


Mesmo que não tenham explicação.


Gosto muito de ti.


Um dia saberás isso, um dia.


Um dia quando acordares e sentires o cheiro da manhã e o cheiro das flores no primeiro dia de uma primavera que há de chegar.