Total de visualizações de página

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Curtindo a vida "adoidado"

Salve Ferris

A década de 80 foi de muita criatividade cultural em todas as áreas e em vários países. Muitos grupos clássicos de música brasileira, como Paralamas e Legião Urbana surgiram nessa época. Mas também foram anos muito produtivos na indústria cinematográfica americana.
Nessa década surgiram filmes como "Curtindo a vida adoidado" que contava a história de Ferris Bueller, um garoto que decidiu tirar um dia de folga de sua vida "chata" e monótona junto com o seu melhor amigo e sua namorada.
O filme fez muito sucesso, se tornou um clássico e ainda faz fãs pelo mundo inteiro. Isso acontece porque no fundo, no fundo, todos nós temos vontade de ter um dia de Ferris Bueller. Mas como podemos realmente aproveitar um dia de folga? Como podemos curtir a vida nas nossas férias e em nossas folga?

Por que tirar um dia de folga?

Quando Deus terminou de criar o mundo em 6 dias, a Bíblia diz que ele descansou no sétimo. Provavelmente Moisés escreveu isso para explicar aos israelitas a origem do descanso no sábado, visto que isso se tornou Lei para todos.
Para entendermos melhor a importância do sábado devemos lembrar que aquele povo trabalhava diariamente no Egito e provavelmente estavam acostumados a não ter um dia de descanso, principalmente para poderem prover a sua própria comida. Vale lembrar também que quando entrassem em Canaã teriam a necessidade de trabalharem diariamente pelo alimento e sustento.
O descanso no sábado era um dia para que os israelitas refletissem sobre Deus e Sua obra. Eles trabalhavam diariamente, de forma muito dura, mas teriam que tirar um dia para poderem colocar "as suas idéias em ordem", principalmente meditando em Deus.

O que fazer em nosso Ferris Bueller´s day?

O mundo atual não nos permite exercitar a meditação e a reflexão. Talvez nunca teve tanta gente no mundo e também talvez (desculpe a redundância) nunca tivemos tantas pessoas solitárias. Solidão e solitude não caminham juntas neste mundo pós-moderno.
Por isso a necessidade de refletirmos sobre o que devemos fazer em nossos dias de folga e em nossas férias. Obviamente não podemos colocar uma Lei para os cristãos guardarem o sábado ou qualquer outro dia. Mas podemos pensar sobre os dias da semana que temos para descansar, como Domingo ou outro (para aqueles que trabalham no Domingo) e sobre os nossos dias de férias.
A melhor forma de aproveitá-los é usando o princípio do sábado. Tirar um dia ou dias para pensarmos na obra da Cruz, para perguntarmos a Deus o que Ele quer de nossas vidas, para louvarmos o Senhor e com isso "pôr as nossas idéias em dia". Essa é a melhor forma de "curtirmos a vida adoidado" em nosso "Ferris Bueller´s day".

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Vencendo a barreira do medo

Um dos maiores obstáculos que precisamos superar na vida é o medo. Por mais que tenhamos consciência disso, vencer este bloqueio não é uma tarefa simples.

Isto porque, de modo geral, o medo se relaciona com emoções negativas que vivenciamos que deixaram marcas em nossa memória e, mais do que isto, em nossas células.

Libertar-se das lembranças que geraram o medo exige uma grande disposição interior, pois, para sair do estado de sofrimento em que as memórias dolorosas nos colocam, às vezes é necessário revivê-las muitas e muitas vezes, até que se tornem apenas uma pálida lembrança.

Alguns se recusam a enfrentar este momento difícil, ainda que saibam que é uma passagem necessária em direção à paz. As armaduras corporais que se formam a partir do medo bloqueiam nossa energia vital e trazem inúmeras consequências não apenas para a nossa saúde, mas para o desenvolvimento pleno de nosso poder interior.

A partir do momento em que nos reconhecemos paralisados pelo medo, precisamos ter a coragem para dar o passo seguinte, que se resume em fazer o que for necessário para confrontá-lo, ao invés de fugir.

As batalhas mais importantes da vida são, sem dúvida alguma, aquelas que travamos com nós mesmos, pois é nos subterrâneos de nosso ser, onde reside a escuridão, que se torna mais premente encontrar uma réstia de luz.

E ela está lá, sempre esteve, ainda que as feridas emocionais nos tenham impedido durante muito tempo, de acessá-la. Mas sempre é tempo de refazer o caminho, confiando no amor que a existência nutre por nós.

domingo, 18 de agosto de 2013

Existem duas dores de amor: A primeira é quando a relação termina e a gente, seguindo amando, tem que se acostumar com a ausência do outro, com a sensação de perda, de rejeição e com a falta de perspectiva, já que ainda estamos tão embrulhados na dor que não conseguimos ver luz no fim do túnel.

A segunda dor é quando começamos a vislumbrar a luz no fim do túnel.

A mais dilacerante é a dor física da falta de beijos e abraços, a dor de virar desimportante para o ser amado. Mas, quando esta dor passa, começamos um outro ritual de despedida: a dor de abandonar o amor que sentíamos. 
A dor de esvaziar o coração, de remover a saudade, de ficar livre, sem sentimento especial por aquela pessoa. Dói também…

Na verdade, ficamos apegados ao amor tanto quanto à pessoa que o gerou. 
Muitas pessoas reclamam por não conseguir se desprender de alguém.
É que, sem se darem conta, não querem se desprender.
Aquele amor, mesmo não retribuído, tornou-se um souvenir, 
lembrança de uma época bonita que foi vivida…
Passou a ser um bem de valor inestimável, é uma sensação à qual a gente se apega. 
Faz parte de nós. 
Queremos, logicamente, voltar a ser alegres e disponíveis, mas para isso é preciso abrir mão de algo que nos foi caro por muito tempo, que de certa maneira entranhou-se na gente, e que só com muito esforço é possível alforriar.

É uma dor mais amena, quase imperceptível. 
Talvez, por isso, costuma durar mais do que a ‘dor-de-cotovelo’ propriamente dita. É uma dor que nos confunde. 
Parece ser aquela mesma dor primeira, mas já é outra. A pessoa que nos deixou já não nos interessa mais, mas interessa o amor que sentíamos por ela, aquele amor que nos justificava como seres humanos, que nos colocava dentro das estatísticas: “Eu amo, logo existo”.

Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo. 
É o arremate de uma história que terminou, externamente, sem nossa concordância, mas que precisa também sair de dentro da gente… 
E só então a gente poderá amar, de novo.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Não tenho nada. Nunca tive. Tenho apenas aquilo que sou. Pura e simplesmente. Não sei se é muito ou pouco, sei apenas o quão difícil é ser-se quem se é, sem rima nem mestria, perante a magnitude dos gestos que marcam a inevitabilidade do destino. Do alto desta estatueta peregrina que sou eu, às vezes sinto que ando em círculos, preso a uma geometria obscena, onde tudo parece imutável e onde a única coisa que muda não é o caminho, mas a perspectiva.
Ou se calhar é ao contrário. Não sei. Não sei nada. 
Entre a dor e a sombra, tudo o que perdura permanece assim... suspenso no tempo dos círculos infinitos. Às vezes a vista lança-se feroz para lá do horizonte daquilo que nunca serei. Sinto medo e volto atrás. Depois há aqueles dias em que ganho coragem e toco muito ao de leve bem no centro desse círculo que é meu. E lá encontro sempre a dor escondida, que arde aos poucos, no meio de uma chama que não se extingue. Assalta-me a vontade de fugir para um espaço suspenso no universo das coisas simples. Noutros dias pego numas aguarelas e começo a colorir o futuro. Mas de que cor? De que cor é que se pinta o futuro? De que cor é que se pinta uma sombra? Ela olha-me e responde-me com um sorriso de ironia. Já travamos duras batalhas eu e a minha sombra. Rendi-me no dia em que percebi que sempre que o sol me acariciava o rosto, era ela que me apoiava as costas.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Sairei por um tempo indeterminado!! Perdi a vontade de escrever, de sentir o prazer de conversar com as pessoas e acima de tudo ver que eu sou capaz de melhorar mais o meu blog. Espero que um dia eu volte a escrever novamente!! Espero que todos saibam que eu não ando bem!! Preciso reformular minha vida novamente. Colocar meus pés no chão!! Desculpa!! Até a próxima!!

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Amizade é compartilhar a vida com aqueles que ama, por mais diferentes que eles sejam. É Amor que nunca morre, um sentimento sincero e puro."
Existem pessoas em nossas vidas que nos deixam felizes pelo simples fato de terem cruzado o nosso caminho.
Conheço pessoas que achavam ter centenas de amigos. Pelo menos até o momento em que sofreram uma queda na vida. Aí, descobriram que não estavam todos ao seu lado e que muitos até se voltaram contra eles. O verdadeiro amigo está sempre ao nosso lado. Ele vê o que há de melhor em nós e não tem medo de nos inspirar a ver o bem em nós mesmos. Isto pode vir na forma de um empurrão motivador. É importante oferecer um ombro para chorar, mas é igualmente valoroso ser uma mão que impulsiona e empurra para frente. Foque nos seus amigos hoje. Faça com que eles saibam que você está presente para eles e não tenha medo de lhes dizer onde eles poderiam estar se esforçando mais - mas, de forma bondosa, é claro. Você está usando seus ombros e suas mãos em suas amizades. 
Sei que é difícil dizer sobre algo tão maravilhoso e pô-lo em palavras, é até quase impossível, pois só se aprende mesmo o que é amizade vivendo-a constantemente.
No meio social, ter boas amizades é muito importante, mas, infelizmente, poucas pessoas se preocupam em ter dentro das suas linhas de relacionamentos a intenção de manter uma verdadeira amizade.
Ser e ter AMIGOS é muito bom, é um sentimento que ultrapassa todas as barreiras, não há nada melhor que isso...Mas a amizade mais sincera e que nunca nos abandona é a de DEUS, ele é o nosso amigo mais sincero e íntimo, que está sempre presente em todos os momentos da nossa vida, tantos os tristes como nos alegres. No dia 20 de julho foi comemorado o DIA DO AMIGO E INTERNACIONAL DA AMIZADE, eu desejo que não pensemos apenas em nossos amigos mas no MAIOR DELE, JESUS CRISTO, que nunca esquece de nós.


Obrigado pela amizade e carinho de vocês que junto com Deus me carregam no colo nos momentos difíceis e vibram junto comigo os alegres...AMO VOCÊS,  DEUS OS ABENÇOEM !!!

terça-feira, 23 de julho de 2013

Ao nascer, perdemos o aconchego, a segurança e a proteção do útero. Estamos, a partir de então, por nossa conta. Sozinhos. Começamos a vida em perda e nela continuamos. Paradoxalmente, no momento em que perdemos algo, outras possibilidades nos surgem.
Ao perdermos o aconchego do útero, ganhamos os braços do mundo. Ele nos acolhe: nos encanta e nos assusta, nos eleva e nos destrói.
E continuamos a perder e seguimos a ganhar. Perdemos primeiro a inocência da infância. A confiança absoluta na mão que segura nossa mão, a coragem de andar na bicicleta sem rodinhas porque alguém ao nosso lado nos assegura que não nos deixará cair... E ao perdê-la, adquirimos a capacidade de questionar. Por quê? Perguntamos a todos e de tudo. Abrimos portas para um novo mundo e fechamos janelas, irremediavelmente deixadas para trás. Estamos crescendo. Nascer, crescer, adolescer, amadurecer, envelhecer, morrer.
Vamos perdendo aos poucos alguns direitos e conquistando outros. Perdemos o direito de poder chorar bem alto, aos gritos mesmo, quando algo nos é tomado contra a vontade.
Perdemos o direito de dizer absolutamente tudo que nos passa pela cabeça sem medo de causar melindres. Assim, se nossa tia às vezes nos parece gorda tememos dizer-lhe isso.
Receamos dar risadas escandalosamente da bermuda ridícula do vizinho ou puxar as pelanquinhas do braço da vó com a maior naturalidade do mundo e ainda falar bem alto sobre o assunto. Estamos crescidos e nos ensinam que não devemos ser tão sinceros. E aprendemos. E vamos adolescendo, ganhamos peso, ganhamos, seios, ganhamos pelos, ganhamos altura, ganhamos o mundo.
Neste ponto, vivemos em grande conflito. O mundo todo nos parece inadequado aos nossos sonhos ah! os sonhos!!! Ganhamos muitos sonhos. Sonhamos dormindo, sonhamos acordados, sonhamos o tempo todo. Aí, de repente, caímos na real! Estamos amadurecendo, todos nos admiram.
Tornamo-nos equilibrados, contidos, ponderados. Perdemos a espontaneidade. Passamos a utilizar o raciocínio, a razão acima de tudo. Mas não é justamente essa a condição que nos coloca acima (?) dos outros animais? A racionalidade, a capacidade de organizar nossas ações de modo lógico e racionalmente planejado? E continuamos amadurecendo, ganhamos um carro novo, um companheiro, ganhamos um diploma.
E desgraçadamente perdemos o direito de gargalhar, de andar descalço, tomar banho de chuva, lamber os dedos e soltar pum sem querer. Mas perdemos peso!!! Já não pulamos mais no pescoço de quem amamos e tascamos-lhe aquele beijo estalado, mas apertamos as mãos de todos, ganhamos novos amigos, ganhamos um bom salário, ganhamos reconhecimento, honrarias, títulos honorários e a chave da cidade.
E assim, vamos ganhando tempo, enquanto envelhecemos. De repente percebemos que ganhamos algumas rugas, algumas dores nas costas (ou nas pernas), ganhamos celulite, estrias, ganhamos peso. e perdemos cabelos. Nos damos conta que perdemos também o brilho no olhar, esquecemos os nossos sonhos, deixamos de sorrir. perdemos a esperança.
Estamos envelhecendo. Não podemos deixar pra fazer algo quando estivermos morrendo. Afinal, quem nos garante que haverá mesmo um renascer, exceto aquele que se faz em vida, pelo perdão a si próprio, pelo compreender que as perdas fazem parte, mas que apesar delas, o sol continua brilhando e felizmente chove de vez em quando, que a primavera sempre chega após o inverno, que necessita do outono que o antecede.
Que a gente cresça e não envelheça simplesmente. Que tenhamos dores nas costas e alguém que as massageie. Que tenhamos rugas e boas lembranças. Que tenhamos juízo mas mantenhamos o bom humor e um pouco de ousadia. Que sejamos racionais, mas lutemos por nossos sonhos.
E, principalmente, que não digamos apenas eu te amo, mas ajamos de modo que aqueles a quem amamos, sintam-se amados mais do que saibam-se amados. Afinal, o que é o tempo? Não é nada em relação a nossa grande missão. E que missão!
 

sábado, 22 de junho de 2013

Imagine a vida como um jogo, no qual você faz malabarismo com cinco bolas que são lançadas no ar... 
Essas bolas são: o trabalho, a família, a saúde, os amigos e o espírito.

O trabalho é a única bola de borracha.
Se cair, bate no chão e pula para cima.
Mas as quatro outras são de vidro.
Se caírem no chão, quebrarão e ficarão permanentemente danificadas.

Entendam isso e assim conseguirão o equilíbrio na vida".

Como?

Não diminua seu próprio valor comparando-se com outras pessoas.
Somos todos diferentes. Cada um de nós é um ser especial.
Não fixe seus objetivos com base no que os outros acham importante.
Só você tem condições de escolher o que é melhor para si próprio.
Dê valor e respeite as coisas mais queridas de seu coração.
Apegue-se a ela como a própria vida. Sem elas a vida carece de sentido.
Não deixe que a vida escorra entre os dedos por viver no passado ou no futuro.
Se viver um dia de cada vez, viverá todos os dias de suas vidas.
Não desista enquanto ainda é capaz de um esforço a mais.
Nada termina até o momento em que se deixa de tentar.
Não tema admitir que não é perfeito.
Não tema enfrentar riscos. É correndo riscos que aprendemos a ser valentes.
Não exclua o amor de sua vida dizendo que não se pode encontrá-lo. A melhor forma de receber amor é dá-lo. A forma mais rápida de ficar sem amor é apegar-se demasiado a si próprio. A melhor forma de manter o amor é dar-lhe asas. Corra atrás de seu amor, ainda dá tempo!
Não corra tanto pela vida a ponto de esquecer onde esteve e para onde vai.
Não tenha medo de aprender. O conhecimento é leve. É um tesouro que se carrega facilmente.
Não use imprudentemente o tempo ou as palavras. Não se pode recuperar uma palavra dita.
A vida não é uma corrida, mas sim uma viagem que deve ser desfrutada a cada passo.

Lembre-se: Ontem é história.
Amanhã é mistério e
HOJE é uma dádiva. Por isso se chama "presente".


quarta-feira, 19 de junho de 2013

Depois de tanto tempo eu fui entender que nada é pra sempre, 
Que a gente só dá valor quando perde realmente, 
Que não existe destino, 
Porque se você mudar uma peça do seu presente, 
Ela pode mudar todo o seu futuro, 
E que não adianta a gente lamentar pelo o que não fez, e se arrepender do que fez, 
De nada vale isso, 
Você vai sofrer, 
Se martilizar por um bom tempo, 
Ou talvez pra sempre, 
Mas com certeza isso não vai edificar nada na sua vida, 
Só vai te fazer lembrar coisas que não te fazem bem, 
E que não vão fazer você evoluir. 
E a vida é uma escada sem fim, 
As vezes você desce, 
As vezes você sobe, 
E as vezes, você fica parada atrapalhando quem quer passar por ela, 
Por isso não olhe pra trás com medo da altura que você está, 
Mas olhe com bons olhos de quem já subiu tudo isso, 
Talvez você tenha tropeçado em vários degraus, 
Porém, 
Você está ai de pé, e é isso que importa, 
Então, 
Espere sempre de si mesmo, 
Nunca espere dos outros, 
Muitos vão passar na sua vida, 
Uns vão te ferir, 
Outros vão te perdoar, 
Outros vão te fazer feliz como ninguém tenha feito, 
Mas de qualquer maneira temos que pensar que todos nós somos diferentes, Se erramos, 
Agimos as vezes de uma forma muito precipitada, 
Ou as vezes demoramos tanto a perceber as coisas que elas passam, 
E a gente só a nota depois, 
Perdemos tantas coisas por medo, 
As vezes por indecisão, 
Talvez você não dê valor, 
Mas uma palavra faz você perder toda uma oportunidade, 
As vezes por causa de uma pedrinha na estrada, 
Você perde toda a sua caminhada. 
Existe muitas pessoas que tem medo do que é novo, 
Pois sempre estão acostumada a viver na rotina, e isso não é bom.
Você precisa viver seu presente, 
Que já ta virando futuro, 
Se você não tentar se libertar do seu passado, 
Você nunca vai saber o que é novo. 
Precisamos mudar nosso jeito de ser. 
As pessoas dizem que um olhar as vezes diz tudo, 
Realmente diz, mas de vez em quando é bom falar o que você sente, 
O que você pensa, talvez a pessoa compreenda um olhar de outra forma e seja pior, 
Então diga o que sente, 
Não esconda, 
E principalmente, 
Diga as coisas de acordo com os seus atos, 
Não dá pra viver uma brincadeira, a vida é realidade,
Não podemos deixar a vida ir acontecendo, porque quem faz a vida somos nós, 
Tudo depende de uma escolha nossa. 
Podemos pensar que a consequência pode não ser boa, 
Mas se não agirmos, 
Como vamos saber? 
A vida é tão simples, 
Se a gente não complicasse tanto ela iria ser perfeita, 
Mas não, todos sempre querem "bater de frente" , 
Não concordar com os outros.. 
Será que você pensa que isso vai trazer boas coisas pra você? 
Não! 
Não vai, 
E um dia você irá lembrar disso tudo, 
E vai pensar porque não agiu diferente, 
Só que infelizmente o tempo passa, 
Talvez ainda haja tempo, 
Talvez seja tarde demais. 
Mas a vida é feita de momentos, 
Cada momento seja ele feliz, triste, de estresse ou de muita calma, 
Não importa, 
Ele pode até se repetir, 
Mas nunca será como aquele que já aconteceu e você passou um dia. 
Não trate o seu próximo com indiferença, 
Eu duvido que você goste de ser tratado da mesma forma! 
Seja humilde o bastante pra assumir seus fracassos, 
E pedir perdão, mas também não se humilhe, 
Não use o passado de exemplo para o seu presente, 
O passado tem motivos pra não fazer parte dele, 
Não passe um corretivo na sua história, 
Porque sempre sobra restos, 
Apague ele de vez, 
Perdoe todos, 
Assim como você gosta quando te perdoam, 
Não julgue, 
Não aponte o erro do seu próximo, 
Apenas diga a verdade, 
Diga o que acha sobre a situação, 
E ajude ele a mudar, 
Não faça fofoca, 
A verdade sempre aparece, 
E quem não vai ficar bem nessa história é você, 
Não se intrometa nos segredos dos outros, 
Se ele te contou é porque confia em você, 
E não quer que ninguém mais saiba, 
Você vai espalhar para que?
Isso nunca vai te fazer crescer! 
Envelhecer não quer dizer experiência, 
As vezes a pessoa passa por várias coisas e nunca aprende, 
E outras que talvez tenha passado só por uma delas, 
Aprende e muda! 
A vida passa rápido, E você não tem outra oportunidade pra fazer diferente, 
Por isso existe momentos únicos e inesquecíveis, 
Existem coisas em que você jamais vai se esquecer, 
E outras que vão passar e sumir da sua mente. 
Se por em primeiro lugar, 
Não é egoísmo, 
Gostar de uma mesma coisa nem sempre é invejar. 
Fracassar é melhor do que não tentar, 
Escutar não é ouvir, 
Falar não é dizer, olhar não é ver, 
Tudo tem seu dois lados, 
Como o bem e o mal, 
E a escolha é totalmente sua! 
Muitas coisas provém do amor, 
Mas o amor não é tudo! 
Há muitas outras coisas no caminho, 
Tanto quanto importante! 
Enfim, sonhe, 
Estabeleça metas, 
Diga o que quer dizer independente da pessoa gostar ou não, seja sincero, 
E nunca deixe de fazer nada por medo, ou por indecisão, 
Você só vai descobrir se tentar, 
Aguente as consequencias de cada escolha que fizer, 
E não tema a NADA e nem a NINGUÉM! 
Na bíblia está escrito " não temas" 365 vezes, 
Uma pra cada dia. 
Quem acredita, 
Confia, 
E apesar de todos os problemas da vida, 
Você tem que VIVER e não apenas EXISTIR!

terça-feira, 18 de junho de 2013

Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “não”. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.

sábado, 11 de maio de 2013

Céu ou Terra...


Estava pensando em como somos moldados a achar que temos sempre que escolher entre uma coisa e outra...entre o ser e o ter...entre o bem e o mal... entre o céu e a terra...e entre tantos outros pares de opostos que nos levam a ficar em uma interminável gangorra...hora vamos mais para um lado, hora para o outro...e se vamos para o lado de algo que acreditamos ser ruim, logo somos inundados por sentimentos de culpa...que acabam trazendo grande sofrimento.
Quem nunca...depois de alcançar um objetivo que queria muito, que trabalhou para que aquilo acontecesse, sentiu um medo de que algo pudesse dar errado, um frio na barriga, já imaginando que algo iria acontecer e atrapalhar aquele momento... Quem nunca se sentiu de alguma forma culpado por estar vivendo coisas boas... Sei que isso pode parecer estranho, quando olhamos assim de frente, mas é muito mais comum do que imaginamos...
Quem nunca se sentiu culpado por usufruir das coisas da Terra?
O conceito do que é bom e do que é ruim varia para cada um de nós de acordo com nossas crenças...se moramos em determinado país, se somos de determinada religião e mais não sei quantas outras variantes que formam uma infindável lista de coisas consideradas boas e aceitáveis...e outras consideradas ruins e inaceitáveis. Isso sem levar em conta outras vidas, onde tínhamos outras crenças e outros conceitos... Só que, essas crenças de outras vidas, não acabam com ela...e assim acumulamos crenças que brigam entre si o tempo todo... e atraímos para nossa realidade situações que espelham essas brigas interiores. Temos a mania do oito ou oitenta e nunca percebemos que entre eles existem uma infinidade de pontos...Não somos muito maleáveis nisso... ou é bom ou é ruim...e o ruim muitas vezes é baseado em memórias inconscientes de pecado... de culpa que são muito fortes.
Uma das coisas que mais causam culpa é a religião...e não só aquela que nos fala que já nascemos culpados, mas todas as religiões que nos fazem crer que as coisas ditas humanas são pecado, ou não são tão boas quanto as coisas ditas divinas. A culpa é muito ruim em qualquer situação, mas em situações onde os motivos de nos sentirmos culpados vêem crenças nada verdadeiras, ligadas a dogmas religiosos inexplicáveis...por coisas que não fizemos...isso aí já é duro de agüentar...
Quase sempre nos fazem crer que precisamos alcançar um estado elevado que não tem a ver com as coisas da Terra e isso acaba gerando em nós a certeza que o estado em que nos encontramos hoje não é o ideal... Sei que é da nossa natureza buscar evoluir e alcançar a Iluminação...estados mais elevados de consciência...mas...ontem, estava pensando em como a forma que as coisas nesses caminhos, muitas vezes, nos são passadas, acabam criando uma oposição equivocada entre Céu e Terra, como se o Céu fosse o ideal a ser alcançado e a Terra o obstáculo a ser superado... o que deixa uma culpa relacionada às coisas da Terra e do nosso corpo...
Quantas pessoas vivem o que é da sua natureza humana, mas que, por ser considerado pecado na religião da qual fazem parte, vivem culpadas sem poder usufruir da vida, simples e naturalmente. E culpa gera autopunição que vem com inúmeras maneiras de autossabotagem e sofrimento...Nunca vi ninguém se sentir culpado por rezar e se dedicar as coisas do Céu, mas já vi muita gente se sentir culpada por se dedicar ao corpo e às coisas da Terra...
Para algumas religiões, ainda tempos que abrir mão das coisas terrenas... e nem precisamos buscar muito para encontrar religiões que pregam que, para alcançar o reino dos Céus, precisamos abrir mão das coisas da Terra...Se pensamos que estamos isentos disso porque não pertencemos a essa ou aquela religião e, mesmo que não tenhamos religião nenhuma e nem acreditemos nisso conscientemente, nossas crenças inconscientes continuam atuando, levando-nos a sentir culpa onde ela não existe...aliás, culpa não deveria mesmo existir...que coisa mais absurda essa tal de culpa...Enquanto não nos aceitarmos por inteiro, vamos continuar brigando com nossa natureza o tempo todo...E quem ganha com essa briga, da gente com a gente mesmo, são aqueles que interessam em tirar nosso poder pessoal, para sermos mais facilmente controlados...
Sem sacrifícios baseados em crenças equivocadas é que vamos usufruir de uma vida humana preciosa aqui na Terra...É nesse corpo e nesse lindo planeta que vamos alcançar a plenitude do Ser, porque o que buscamos não está em nenhum Céu imaginário...o que buscamos pulsa o tempo todo dentro de cada um de nós...É vivendo o simples que se chega ao Amor que está sempre presente... sempre no Aqui e Agora...É através da aceitação do nosso corpo e da nossa Terra que vamos chegar ao tão sonhado Céu que, na verdade, já está disponível a cada um que se arrisca a ir além da dualidade onde você não tem que escolher entre isso ou aquilo... Você É...Entre o Céu e a Terra... escolha a União.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Como criar uma Vida Nova?


Tenho ouvido muita gente falar em vida nova, em mudança de ciclo, em um começo de uma nova era. Ouvi até alguns comentarem sobre não ter mais karma. Acho tudo isso muito pesado para um ser humano normal carregar. Imagine você tendo que se responsabilizar com a mudança do mundo?
São muitas expectativas, muitos sonhos e esperanças, e tudo isso causa medo e insegurança, mesmo para aqueles que já estão no caminho e sabem que para ter resultados novos, melhores, diferentes, terão que agir de outra maneira. Pois a vida não vem pronta, não é um universo externo a nós. Nós fazemos a vida, nós criamos a realidade interna, que é nossa percepção do mundo, e também a externa, que é a realidade que já vem pronta.
Que o mundo está mudando tenho certeza, nunca vi tanta gente buscando caminhos espirituais como agora, o que me deixa muito feliz, mesmo pensando que muitas dessas pessoas estão procurando vivência espiritual por conta de decepções, acho uma alternativa válida. Quantas almas despertando para um mundo de possibilidades e esperança, e desejo que cada um tenha seu despertar iluminado, porém, é preciso salientar que se trata de um caminho, um aprendizado, e tudo isso requer esforço e muito boa vontade. Não é porque começamos algo novo que tudo dará certo.
Pois as coisas têm um tempo, e mesmo que mudemos algo hoje, a repercussão dessa transformação se manifestará ao longo do trajeto. Por isso, precisamos fazer as mudanças e, em paralelo, ir lidando com o dia a dia e seus muitos atropelos. Já que não existe uma fórmula mágica que transforme a realidade à nossa volta de uma hora para outra.
Você pode estar novo por dentro, acreditando em todas essas mensagens cheias de esperança e motivação, mas como estará encarando o mundo e interagindo com a sua família, o seu local de trabalho, os seus colegas, os seus filhos?
Será através de você que a mudança real deste mundo vai acontecer. E tenho certeza que não acontecerá com falatórios e bons discursos, porque muita gente inclusive se irrita se você quiser ficar ensinando, passando para frente as coisas que aprendeu. As pessoas despertarão através do seu despertar, que se mostrará em boas atitudes.
Não me refiro a você se santificar imediatamente, porque isso é impossível. Não dá para imaginar que agora que você já sabe de algumas coisas, que tudo dará certo e que esse lindo universo conspirará a seu favor. Aliás, seria muito bom se as coisas funcionassem assim, sem esforço ou dedicação.
Porém, mesmo que dê trabalho, e que tenhamos que nos empenhar nessa mudança, vale muito a pena continuar investindo, pois a gente ganha muita força, fortalece a fé quando toma atitudes, quando aprende a dizer sim, e também não, quando aprende a colocar limites sem raiva, ou mesmo guardar o silêncio em horas de estresse. Fazer o bem não é somente baixar a cabeça e ser conivente com as pessoas para não causar mágoas ou brigas, nem é também sair por aí se defendendo ou bancando seus pontos de vista sem ouvir os outros, ou mesmo se achando superior porque conhece outras coisas que descobriu fazer maior sentido.
Fazer o bem acima de tudo é ser consistente, tanto em relação à espiritualidade, como também com as questões do mundo objetivo.
Ter bom senso, olhar para as coisas com equanimidade, sem tanta paixão na defesa de suas crenças, fará muito bem. E com a prática desse estado mais contemplativo que a meditação e a oração nos trazem, você terá muito a ganhar. 

Fazer parte de um mundo melhor, mais iluminado, mais amoroso exigirá de cada alma desperta muito amor, e muita dedicação, e para tanto teremos inclusive que desenvolver uma grande paciência com nossos próprios erros, tolerância com o mundo externo e atitudes alheias, porque o conceito de mundo melhor tem que sair de discursos, de lindas palestras e conquistar espaço no dia a dia, e isso somente acontecerá através de você.
Eu, você, seu filho, nossos vizinhos, colegas de trabalho, familiares, faremos o novo mundo criando um novo olhar e novas atitudes frente a tantas coisas conhecidas. Pois se continuarmos interagindo com a vida da forma corriqueira que fizemos até então, como esperar ver mudanças reais?
Mas apesar de parecer difícil e algo para pessoas mais velhas fazerem, tenho visto muitos jovens envolvidos na espiritualidade e com muita vontade de sair do consumismo. Vejo isso com bons olhos, porque são pessoas que não estão entrando numa vida mais alternativa, como fuga, como uma saída para o insucesso. Ao contrário, quanto mais consciente for uma ação, mais chance de sucesso ela terá. Criar o novo mundo vem de dentro de nós e exigirá uma dedicação constante, aliás, como tudo na vida.
Porém, um trabalho feliz, por ideais que fazem o coração bater forte. Se você é médico, dentista, administrador de empresa, funcionário público, ou seja lá o que for, faça sua parte, nessa mudança de vida, de uma forma boa, invista na sua profissão, faça o seu melhor, dedique-se a ajudar o próximo, mesmo sabendo que sempre os desafios e obstáculos mais intensos estão na família, no trabalho, nas questões mais íntimas e próximas. 
Então, vamos à nova era, porém, tendo que continuar praticando aquilo que há mais de dois mil anos Jesus falou: amar ao próximo como a ti mesmo, porque uma nova era só pode ser alicerçada no amor, na boa conduta e na integração entre corpo, mente, espírito, como o bom e antigo código de ética espiritual sempre nos ensinou.

terça-feira, 16 de abril de 2013

Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade.

sábado, 13 de abril de 2013

NÃO ESTAMOS SOZINHOS!!

Por que os meus olhos teimam em ver o que o meu coração já sentiu? 

Por que sinto que nossa origem é extraterrestre e que outros olhos estão nos observando e também nos sentindo com o coração? Será que eles também choram de saudade? 

Olho para as estrelas e penso nas naves invisíveis que se movimentam interdimensionalmente e são motivadas por razões que só os seus tripulantes sabem. 

Penso nos povos de outros orbes que nos visitam em suas naves fantásticas e, ao mesmo tempo, lembro-me das diversas guerras em andamento no nosso planeta no momento. 

Pergunto-me se os visitantes espaciais estão vendo isso e se não nos consideram meio loucos? Talvez haja um plano cósmico em andamento e nós estamos inseridos nele, mas ainda não sabemos. 

Ou talvez os nossos visitantes sejam mais parecidos e próximos de nós do que jamais imaginamos dentro de nossa cegueira interdimensional temporária. 

Quem sabe se, no fundo dos mares, no interior da Terra, ou mesmo sob as calotas polares, não há diversas colônias ou bases extraterrestres monitorando invisivelmente o progresso da humanidade terrestre? Lembro-me de Jesus ensinando, "Na Casa do Pai há muitas moradas". Será que Ele também estava sentindo saudades? 

Também me lembro do sábio grego Pitágoras, ensinando sobre as esferas espirituais, e do místico e sensitivo sueco Swedenborg relatando, no século 18, que via, fora do corpo, seres de outros lugares. Será que eles também estavam com saudades? 

Meus olhos querem ver, mas o meu coração já sabe e não precisa de provas externas para comprovar o que ele já intuiu e sentiu: somos visitados por irmãos estelares há muito tempo e há uma ordem cósmica guiando os passos de raças mais jovens e imaturas nos orbes mais densos. 

Iludidos pelos cinco sentidos convencionais e presos a paradigmas materiais e imediatistas, não percebemos a imensa trama cósmica em que estamos inseridos e também não percebemos que fazemos parte da imensa família sideral.
Cegos e meio-loucos por causa do isolamento em relação aos nossos irmãos espaciais, pensamos e fazemos coisas estranhas e não conseguimos a paz tão almejada. Saudades, saudades, saudades... Os olhos querem ver, mas o coração já sabe: 

NÃO ESTAMOS SOZINHOS!

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013


Com o início de um novo ano, é praticamente impossível deixar de planejar. Todo mundo faz planos para o ano que chega, mas você já parou para pensar em quantos planos realizou dos inúmeros que fez? Tudo que a gente deseja no ano novo que vai nascer, nada mais é do que um planejamento.

E planejamento requer organização, prazos, objetivos, entre outras coisas que iremos ensinar a você, para que você consiga finalizar o ano com muitas conquistas! Inicialmente, pode até parecer bobeira, mas colocar seus planos em um papel, em forma de lista de coisas a fazer ajuda e muito! Portanto, pegue papel e caneta e comece a listar tudo o que você pretende realizar no ano que se inicia.

Não se esqueça de ser realista e colocar na lista objetivos que você possa cumprir, para não perder a motivação no meio do caminho. Agora que você já sabe quais são seus objetivos para o próximo ano, coloque na frente de cada objetivo uma data para que o mesmo esteja realizado.

Também neste item é necessário ser realista. Por exemplo, se você quer realizar uma viagem internacional e não tem nenhum dinheiro guardado para isso, a data mínima para atingir este sonho é de aproximadamente 1 ano, dependendo de sua renda e disciplina para guardar dinheiro. Não colocar uma data para que o objetivo seja atingido faz com que se perda o foco e por consequência a motivação que são indispensáveis para realizar os sonhos.

Para realização de seus planos é muito importante que você coloque o papel escrito com suas metas e seu planejamento em um lugar que você verá todos os dias. Isso te ajudará a lembrar de que você fez um planejamento e que se você se organizar e manter o foco, você terá tudo para realizar seus planos em 2013.

Equilíbrio

Feito isso, é hora de colocar as mãos à obra, em busca da realização dos seus sonhos. Lembre-se primeiramente, de assumir uma postura mais firme em relação a responsabilidade que você tem sobre as coisas que acontecem em sua vida. Você é o único responsável por mudar suas atitudes e desta forma alcançar seus objetivos. Para isso é preciso ter muita disciplina e equilíbrio, para saber lidar com o dinheiro, o tempo e a qualidade.

Sentidos

Outra coisa super importante para nos motivar ainda mais, é fazer com que nosso cérebro e corpo experimentem as sensações da vitória. Como fazer isso? Muito simples! Usando o exemplo da viagem internacional, pegue fotos do local que pretende visitar e espalhe por locais que você costuma ficar na casa. Para conquistar os seus objetivos, seus sentidos precisam experimentar a situação desejada para ter a referência de onde você quer chegar.

Dinheiro

Não podemos esquecer que vivemos em uma sociedade capitalista e como tal, o dinheiro é muito importante na realização da maioria dos objetivos da lista de milhões de brasileiros. Mas o dinheiro não deve ser encarado como empecilho, afinal de contas, com ele você conseguirá desfrutar de momentos muito agradáveis. Para que você saiba melhor como lidar com seu dinheiro, separamos um link muito interessante, onde você poderá realizar cursos online gratuitos para melhorar a forma que você se relaciona com seu dinheiro, confira aqui.

Esperamos ter ajudado com estas dicas para que você possa realizar o maior número de sonhos possíveis neste novo ano que se inicia. Boas festas e um feliz 2013!