Total de visualizações de página

domingo, 15 de novembro de 2009

Descobri que depois de muitas quedas, eu que as vezes quando tudo da errado, acontecem coisas tão maravilhosas que jamais tenham acontecido se tudo tivesse dado certo. Eu percebi que quando amei de verdade pude compreender que em qualquer circunstancia, eu estava no lugar certo, na hora certa. Então eu pude relaxar. Pude perceber que o sofrimento emocional é um sinal de estou indo contra a minha verdade. Parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo que acontece contribui para o meu crescimento.
Comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma coisa ou alguém que ainda não esta preparado. Inclusive eu mesmo. Comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável. Isso quer dizer: pessoas, tarefas, crenças e qualquer coisa que me pusesse pra baixo ...minha razão chamou isso de egoísmo. Mas hoje sei que é AMOR-PROPRIO. Quando eu amei de verdade deixei de temer meu tempo livre e desisti de fazer plano. Hoje faço o que acho certo e no meu próprio ritmo. Como isso é bom! Desisti de querer ter sempre a razão, e com isso errei muito menos vezes. Desisti de ficar revivendo o passado e de me preocupar com o futuro. Isso me mantém no presente que é onde a vida acontece. Descobri também na vida a gente tem mais é que se jogar, porque os tombos são inevitáveis e a hora que a gente levanta ninguém segura. Percebi que a minha mente pode me atormentar e me decepcionar, mas quando eu a coloco a serviço do meu coração ele se torna grande e valioso aliado. Também percebi que sem amor, sem carinho e sem verdadeiros amigos a vida é vazia e se torna amargo.
Hoje eu só tenho encontro marcado com aquilo que me interessa. Posso ter meu defeito, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela a vá a falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios. Incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vitima dos problemas e se tornar um autor da própria história... É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito de sua alma. É agradecer a Deus a cada manha pelos milagres da vida. Ser feliz não é ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “não”. É ter segurança para receber uma critica, mesmo que injusta. Pedras no caminho? Guardo todas, quem sabe um dia eu construa o meu castelo...

sábado, 14 de novembro de 2009

Hoje acordei de madrugada com o barulho da chuva na sua janela? E como você encarou isso? Indiferente? Relaxou e dormiu bem? Ficou apavorado?
As reações das pessoas à uma simples chuva podem ser a mais variadas. Eu gosto do barulho da chuva, mesmo odiando ser molhado por ela. Normalmente a chuva me deixa ainda mais introspectivo. Mais envolvido em meus problemas que aliás, estão mais para dilemas do que problemas. São coisas banais do dia a dia. Nada sério. Fico ali com a cabeça nas nuvens e o ouvido lá fora. Escuto os pingos que são rebatidos pelo chão ou o som da goteira ou qualquer outra coisa. É quase um feitiço. Esta noite fiquei das 3 da manhã até as 5h ouvindo a chuva e pensando. É bom que quando a chuva passa os devaneios também vão junto. Acho que lava a alma.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Sentei, quieto, sozinho, ouvindo uma musica. Em um processo de introspecção, meditação, ou mesmo alienação quanto ao tempo que permaneci sentado, comecei a pensar em passado e futuro. Tenho mil planos em minha meticulosa cabeça. Tenho essa mania de pensar sobre tudo com antecedencia e quando me dei conta estava tudo lá. Um verdadeiro script. Uma edição de video com o plano de cada frame: tema, atores, falas, tempos, cenários…tudo.
Afinal o que deixei de fazer por planejar tanto?
Tenho certeza (doeu assumir) que na minha ânsia em fazer os planos darem certo, parei de observar a realidade e de assumir o que era necessário fazer. Uma pena! Hoje, acho que estes planos meticulos me ajudaram em muita coisa, mas também me impediram de tomar uma cerveja despretensiosa num dia qualquer de inverno.
Quando assumi esta característica me deparei com um personagem chateado por ter perdido tantas oportunidades. Quantas foram as pessoas que não conheci? Quantos foram os lugares que não visitei? Quantos foram os beijos não dados? Quantos foram os dias não aproveitados?
Hoje, tudo é água passada. O rio foi e novas águas virão.
Sempre haverá a oportunidade de corrigir uma falha, ou de resolver um problema ou de se reorganizar. O tempo passado não voltará, mas sempre haverão novos momentos para serem aproveitados. Tudo pode ser novo e diferente. Continuo tomando decisões e almejando coisas. So não deixo de viver por isso.
Quando falo em viver estou falando em aproveitar um pouco. Em relaxar e deixar as coisas acontecerem. Em assumir que já não sou criança e que se erro posso corrigir e ir em frente. Isso tudo é amadurecimento, é oportunidade de crescer, de me conhecer e de identificar o que realmente gosto.
Relaxa e goza! Leva a vida e deixa a vida te levar. Vai ser feliz! Vai dar risada sozinho no canto do seu quarto depois de imitar um cantor qualquer em frente ao espelho. Vai…vai sim!

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Porque a gente é assim?

Tenho passado os dias (e algumas vezes as noites) tentando entender porque a vida é assim. Você provavelmente vai perguntar, assim como? Eu posso responder tranquilamente: por que a vida é cheia de mudanças, surpresas, reviravoltas e etc. Um dia estamos bem, no outro estamos mal, em outro dia não estamos nem ai e em alguns momentos mal cabemos em nós mesmos. É engraçado tentar entender tudo isso, tentar identificar o que provoca estas mudanças. Acredito em ação e reação. Não acredito em destino. Não acho mesmo que tenhamos um fim preparado. Nossa vida é definida por nossas atitudes. Por favor não entendam isso por ceticismo, por falta de fé ou por uma interpretação religiosa. Tenho certeza que posso explicar: tomamos milhares de decisões todos os dias. A hora de tomar um copo de café, se após o banho usaremos ou não o desodorante, se o cinto marrom com sapato preto combinam. A partir destas decisões devemos apenas aguardar as conseqüências que podem ser boas, ruins ou indiferentes como ocorre na maioria das vezes.De decisão em decisão (certa ou errada, boa ou rim para mim), ainda estou fazendo minha vida! Quero Namorar, estudar mais, trabalhar. Tive aventuras amorosas, fiz pequenas loucuras esportivas, viajei por muitos lugares a trabalhei puxado. Vi praias, montanhas e horizontes. Passei minha vida em uma cidade grande mas escapei em vários momentos antes que a cidade me endurecesse. Mas também não relaxei em excesso para não correr o risco de me tornar um molenga. Li isso naquele texto do filtro solar e concordo plenamente. Li bastante, sonhei com mundos e vidas imaginárias. Amei, sofri, amei de novo, quero amar muito e ri a toa enquanto dirigia. Conquistei poucos amigos de verdade, muitos colegas de verdade. Hoje, passados os 30 e quase na beirada dos 40 anos. Fico pensando se faltou algo. Ainda não plantei uma árvore, mas vou providenciar rápido, não escrevi um livro, mas já tenho algo em mente e também não tive um filho mas chego lá (seja uma menininha toda enfeitada e carinhosa ou um garotão daqueles bem avacalhados e companheiro para assistir os jogos de futebol do primeiro time GAÚCHO CAMPEÃO DO MUNDO).A resposta, então, é sim. Ainda falta muita coisa. Graças a Deus! E por faltar muito ainda, a própria vida não pode deixar que nos acomodemos. Então, a vida é assim para nos instigar, nos pressionar, nos mostrar que vale a pena cada segundo, cada sorriso, cada lagrima….cada dia. Por que a vida é assim? Porque assim, não cansamos de buscar uma vida ainda mais feliz.Hoje isso para mim é uma oração: Obrigado meu Deus pelo dia que amanhece. Obrigado pela infinidade de decisões que terei que tomar e pelas milhares de oportunidades que surgem a cada momento. A pergunta agora, é outra: porque escrevi isso? A resposta é simples e comum a ambas as questões: não sei, simplesmente deu vontade. Mas com certeza foi uma decisão muito boa!