Total de visualizações de página

quinta-feira, 28 de abril de 2011

A sombra faz parte de nós

NOSSA SOMBRA EXISTE e faz parte de nós। Essa dualidade é intrínseca ao nosso ser e apenas quando a abraçamos sem medo e sem vergonha é que encontramos o equilíbrio em nossa vida। Esse é o caminho do meio: nem tanto ao mar, nem tanto à terra. Vivemos em uma sociedade que determina padrões de comportamento, que nos dita regras e nos impõe determinadas atitudes, mesmo que nos façam mal. Já temos gravada em nossas células a memória de que o lado escuro de nossa personalidade não deve ser aceito. Nos envergonhamos dele e tentamos de todas as maneiras cancelar sua existência inevitável em nossas personalidades. Dos pares de opostos que habitam em nós – luz e sombra, divino e diabólico, santo e profano –, tentamos fingir que só o que é bom existe.


É hora de se rebelar contra essa ditadura. De inovar, recriar nossa vida. Que tal adotar um novo modelo segundo o qual nos sentimos à vontade com quem somos, aceitamos nossa personalidade como ela é? A aceitação total de nossa sombra automaticamente nos faz aceitar a sombra das pessoas à nossa volta, ou seja, nos torna mais compassivos. Começamos a olhar para os fatos sem julgamentos e sem criticas. Nos conscientizamos que a dualidade é natural e universal.


Assim, o turbilhão de nossos pensamentos vai gradativamente diminuindo, a mente se aquieta, fica mais calma e tranqüila. Aos poucos abrem-se espaços entre os pensamentos para que possamos seduzir nosso espírito e ouvir as mensagens inspiradoras de nossa alma. Vamos resgatando o melhor de cada um de nós. Não é irônico? Exatamente quando fazemos as pazes com a nossa sombra é que tornamos mais iluminados. A verdade é que precisamos ser humildes o suficiente para aceitar que o que recebemos do universo é perfeito. E, então, devemos começar a explorar as infinitas possibilidades de crescimento e de desenvolvimento que existem por trás de cada adversidade.


No momento em que aceitamos nossa dualidade, começamos a sentir o estado de paz interior. Paz por ser e não por ter. O ter é sempre conseqüência do ser – e, quanto mais formos, mais teremos. Isso porque nos conectamos com o imenso poder da natureza e trazemos a nós a abundância que nele existe. Nosso corpo passa a produzir substâncias como serotonina e duponina, que vão aumentar nosso bem-estar e promover saúde. Nosso sistema imunológico se eleva, e o índice de doenças diminui. Ao aceitar nossa sombra, eliminamos o sentido da separação que gera toda a infelicidade humana. Voltamos a ser íntegros e a viver na totalidade do nosso ser.


Até a próxima!


Nenhum comentário:

Postar um comentário